O financiamento coletivo, ou crowdfunding, consiste na captação de recursos para iniciativas de interesse coletivo, através do engajamento de múltiplas fontes de doações – geralmente pessoas físicas interessadas – utilizando-se de uma plataforma digital ou não.

Lembra quando na escola um aluno vinha te pedir pra contribuir com uma vaquinha para comprar o presente da professora? Ou para ajudar a pagar a festa de fim de ano da turma?

A versão online, moderna e repaginada dessa vaquinha tem nome e sobrenome: financiamento coletivo – também conhecido como crowdfunding.

Trata-se de uma estratégia de captação de recursos muito interessante para organizações sociais. Segundo projeções, o volume captado com financiamento coletivo pode crescer até 20 vezes entre 2019 e 2025 no Brasil!

E esse crescimento não é a toa. O financiamento coletivo é uma estratégia muito sexy por ser rápida e ágil. Porém, não se engane. Financiamento coletivo é bem trabalhoso, pois requer bastante tempo e dedicação para dar certo.

Vamos entender melhor?

O que é o financiamento coletivo ou crowdfunding?

Financiamento coletivo é uma estratégia de captação de recursos que consiste em arrecadar dinheiro de uma rede grande de pessoas através de uma plataforma online.

Esse recurso vai servir para financiar um objetivo que pode ser um projeto, uma causa ou até mesmo um produto.

Existem dois tipos de financiamento coletivo:

  • Financiamento Coletivo Pontual
  • Financiamento Coletivo Recorrente 

O Financiamento Coletivo Pontual, por sua vez, também é dividido em outros dois tipos:

  • Campanhas Tudo ou Nada – você estipula uma meta de arrecadação e define o prazo para batê-la. Se ela for alcançada,o montante é todo seu. Senão, volta pro doador. Emocionante, né?
  • Campanhas Flexíveis – nas campanhas flexíveis, mesmo se você não bater a meta, leva a quantia arrecadada. Você tem menos risco, mas perde o argumento da urgência (calma, falaremos disso).

O financiamento coletivo recorrente funciona como uma fonte de renda contínua.  É basicamente uma assinatura mensal. O doador escolhe um valor e doa ele automaticamente todo mês. Um exemplo de organização que utiliza o financiamento coletivo recorrente que você provavelmente conhece é o Médico Sem Fronteiras.

Médicos sem Fronteiras Logo

Nesse artigo abordaremos o financiamento coletivo pontual como uma alternativa para captar recursos e financiar o projeto que você quer tirar do papel! 

Tamanho do mercado do financiamento coletivo no Brasil

O mercado de financiamento coletivo tem crescido exponencialmente no mundo todo.

A China, os Estados Unidos e o Reino Unido são os países que lideram o mercado.

Para você ter uma noção do tamanho do mercado e da sua tendência de crescimento, em 2016 o financiamento coletivo movimentou no mundo U$65 bilhões e a estimativa é que em 2025 movimente U$100 bilhões. Um crescimento de mais de 50%!

No Brasil, o mercado é menor, mas bastante significativo. E está seguindo a tendência de crescimento mundial. Segundo uma pesquisa feita pela World Bank em 2019, no Brasil foram investidos R$200 milhões em financiamento coletivo e se estima-se que em 2025 sejam investidos R$4.4 bilhões.

Perfil do financiamento coletivo no Brasil

No mundo, o financiamento coletivo é na sua grande maioria usado para financiar projetos de novos produtos, artes e serviços

Já no Brasil ele é usado principalmente como ferramenta de captação de recursos para organizações sociais, com predominância de projetos culturais e artes.

Financiamento coletivo é uma forma de captação de recursos mais comum para projetos culturais e de artes

Essa estratégia serve para a minha organização?

Se você abriu uma ONG e busca formas para adquirir recursos, há algumas perguntas que você pode se fazer que vão te ajudar a saber se essa estratégia de captação de recursos serve mesmo pra você e para o seu projeto.

1. Meu projeto tem interesse coletivo?

Você vai precisar da doação de muitas pessoas, certo? Mas não basta que elas apenas gostem do seu projeto. Elas devem se engajar a ponto de doar dinheiro.

Por isso, vale se perguntar: o projeto para o qual eu quero captar é do interesse de todos? Ele tocará minha rede o suficiente? Ou é mais um interesse pessoal?

Esta pergunta é bastante subjetiva, mas tente respondê-la antes de seguir. 

2. Minha meta é compatível com a minha rede?

Sua meta tem que ser compatível com dois fatores: com seu esforço de divulgação e com a quantidade de pessoas que você acredita que consegue atingir com a sua campanha. 

Para saber a quantidade de pessoas que precisam entrar na página da sua campanha para que você tenha sucesso, é só pegar a meta do seu projeto e dividir por cinco. A lógica por trás dessa conta é que apenas cerca de 5% das pessoas que entrarem na página do seu projeto irão doar. E a média de valores doados é de R$100.

Por exemplo, sua meta é R$10.000. Dividindo por cinco dá 2.000 pessoas na sua página. Seriam 100 doadores, doando em média R$100, o que chegaria a R$10.000. Ou seja, você precisa atingir duas mil pessoas com a sua campanha.

Captação de Recursos Financiamento Coletivo - Equação Meta Mínima Crowdfunding

E aí? Sua rede é compatível com esse número?

3. Tenho tempo para divulgar minha campanha?

Divulgar e planejar uma campanha de financiamento coletivo dá muito trabalho e toma muito tempo. Você tem todo esse tempo disponível para se dedicar, se relacionar com as pessoas e trabalhar na divulgação da sua campanha.

4. Sou capaz de fazer um bom material de divulgação para o meu projeto?

Um material de divulgação de qualidade é essencial para engajar as pessoas na sua campanha. Normalmente as plataformas usam vídeos como material de divulgação.  É dinâmico e uma excelente forma de interação com a sua rede e potenciais doadores. 

O que você precisa para fazer na prática sua campanha?

  1. Organiza-se e planeje-se. Comece fazendo um escopo do seu projeto com os seguintes pontos:
    • Uma breve descrição do seu projeto. 
    • A motivação e o propósito por trás do projeto. 
    • O que você pretende viabilizar com a sua arrecadação. 
    • Quais recursos você vai precisar para seu projeto sair do papel.
  2. Escolha a plataforma que você vai usar para fazer a sua campanha. Alguns bons exemplos são a Benfeitoria, a Kickante e a Catarse.
  3. Mapeie sua rede. Mais pra frente te explico como.
  4. Defina e prepare os seus materiais de comunicação. Eles serão essenciais para o sucesso da divulgação da sua campanha.
    • Você vai precisar elaborar alguns textos com as principais informações do seu projeto. 
    • Tenha imagens interessantes e chamativas que traduzam e representem seu projeto. É bom para usar por exemplo nos posts das redes sociais e na página da sua campanha. 
    • Prepare seu vídeo de apresentação do projeto
    • O material mais importante que você vai produzir é esse vídeo. O ideal é que ele seja simples, claro, completo e bem curtinho. 
  5. Defina as metas da sua campanha. No financiamento coletivo, pedir o mínimo é sempre melhor do que pedir o ideal. Para calcular a sua meta mínima você vai somar: o valor mínimo necessário para realizar seu projeto + o custo da produção dos materiais de campanha + o custo da transação financeira cobrado pela integradora financeira (aproximadamente 5%) + o custo da plataforma + margem de erro de 5% para cobrir gastos não previstos = custo final de um projeto de financiamento coletivo.
  6. Divulgue sua campanha
Captação de Recursos com Crowdfunding - Meta Mínima
Considere diferentes tipos de custos na sua meta mínima de financiamento coletivo

O segredo do sucesso de uma campanha de financiamento coletivo é uma boa divulgação. Entre em contato com toda a sua rede. Mande e-mails, whatsapp, poste em todas as redes sociais sobre sua campanha. Quanto mais pessoas você alcançar maior a chance de bater a meta.

7 dicas matadoras para seu financiamento coletivo dar certo!

Agora vamos para as dicas que vão te ajudar a arrebentar na sua campanha de financiamento coletivo:

1. Crie metas factíveis

Crie uma meta realista para o seu projeto.  Quanto maior ela for, mais pessoas você precisará mobilizar e mais trabalho terá. Sua meta precisa ser do tamanho do seu sonho… mas também do tamanho da sua rede.

2. Mapeie sua rede, não lance uma campanha no escuro

Um bom mapeamento de rede é fundamental para o sucesso da sua campanha. Faça uma lista de todas as pessoas que você conhece e acredita que investiriam no seu projeto. 

Ela é basicamente dividida em 3 partes:

Rede primária  

São as pessoas mais próximas a você. Sua família, amigos e os fãs do seu projeto. Ela é a parte mais importante da sua rede, pois vai garantir de 55% a 80% de toda a sua meta. Lembre-se, você só vai começar a divulgar sua campanha para a rede secundária depois que completar 20% da sua meta com a sua rede primária.

Um dado interessante divulgado pela Benfeitoria, é que se sua arrecadação alcançar 40% com sua rede primária ele tem 99% de chance de alcançar a meta final.

Rede secundária 

São os amigos dos amigos, as famílias dos amigos e seus colegas mais distantes. É aqui que você vai partir para a divulgação com as redes sociais como Whatsapp, Facebook e Instagram. Não se esqueça de mencionar a quantia de colaboração que você espera receber dessa parte da sua rede.

Rede terciária 

Essa é a parte mais distante e difícil de atingir da sua rede. Aqui você provavelmente vai precisar enviar um inbox ou um e-mail mais formal para essas pessoas pedindo permissão para divulgar sua campanha. São as pessoas que você vai atingir através de Fanpages do Facebook, blogs, jornais, revistas e pessoas influentes que divulgarem seu projeto.

3. Faça um vídeo curto 

Se alguém te envia um vídeo ou um texto grande, você para pra assistir ou pra ler? Provavelmente não, né? Somos seletivos porque somos bombardeados o tempo todo por uma enxurrada de informações na internet. 

Não deixe de fazer um vídeo para divulgar sua campanha. Mas faça um vídeo simples, claro e curto. Lembre-se disso: só passe de 2 minutos se for muito interessante. 

4. Comece seu vídeo contando uma história

Histórias ilustram muito bem uma causa. Fale sobre as pessoas que irão se beneficiar com o seu projeto, por exemplo. Começar seu vídeo contando uma história vai ajudar a prender a atenção das pessoas e a engajá-las. Histórias mexem com o emocional, de onde vem a decisão de doar. Quem faz isso super bem é o pessoal do Voaa, do Razões para acreditar. Eles têm um sucesso grande engajando as pessoas nas campanhas contando as histórias dos projetos. 

5. Não se frustre com o  “vale das arrecadações”

Sua campanha vai ter 3 momentos de arrecadações.

Captação de Recursos por Financiamento Coletivo - Gráfico de Evolução de Contribuições por Tempo

 O “boom” inicial, com um volume alto de doações. 

Depois desse pico, suas arrecadações vão diminuir e entrar num “vale”, onde as pessoas não colaboram muito com o projeto. 

Mas não desanime, pois no momento final, a urgência vai mobilizar as pessoas e elas vão voltar a colaborar. 

Para ilustrar esse senso de urgência das arrecadações da última fase vou te dar um exemplo. Imagine que você entrou em um projeto que tem 30% de meta batida, porém faltam 2 meses para acabar o prazo. Depois você entra em um que está em 80% de meta batida, porém acaba amanhã. Qual deles você acha que irá receber mais doações? 

6. Sempre disponibilize o link de acesso da sua campanha!

Durante a divulgação do seu projeto, nunca se esqueça de disponibilizar o link da campanha. A doação muitas vezes é um ato de impulso. Se as pessoas deixarem para depois você pode perdê-las para sempre.

Um bom exemplo para ilustrar a importância desse link é uma campanha que foi realizada para criar uma associação em homenagem a um ator da Globo que faleceu. Ela foi divulgada no Fantástico, após a matéria sobre a fatalidade. Isso provavelmente era o suficiente para a campanha ter sucesso. Porém, como o link não foi disponibilizado, poucas pessoas conseguiram entrar para doar. Por isso, sempre, em qualquer divulgação, inclua o link da sua campanha.

7. Divulgue, divulgue, divulgue!

Somente 5% das pessoas que acessarem a página da sua campanha vão doar para o seu projeto. Por isso, atraia muitas pessoas.

O sucesso da sua arrecadação vai ser proporcional ao seu esforço de divulgação.

8. Agradeça, agradeça, agradeça 

O doador disponibilizou o tempo dele para que você apresentasse seu projeto. Acreditou na sua causa. Mostrou confiança ao contribuir.

Seja grato a isso e nunca se esqueça de agradecer.

Captação de Recursos com Financiamento Coletivo - Agradeça!

Envie uma mensagem ou um e-mail de agradecimento. Disponibilize os resultados. É muito satisfatório ver concretizado um projeto que você contribuiu para acontecer. 

E se for financeiramente viável, dê um brinde ou uma recompensa para os seus colaboradores como forma de agradecimento.

Se depois de ler esse artigo você continuar com dúvidas sobre o assunto ou quiser fazer um comentário, fique à vontade! Será um prazer te ajudar!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer se juntar a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *